Minha infância, minha vida, meus amores e dores; minhas idéias e meus ideais; idéias alheias, conversação entre sorrisos e lágrimas, tudo contado de uma maneira gostosa e com uma pitada de bom humor por uma pessoa FELIZ!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Acolher: Um ato de Amor!

 


Este texto faz parte da Blogagem Coletiva 
de aniversário de um ano do blog 
Acolher com Amor da Teresa Cristina.
Obrigada Teresa pela oportunidade.

Esta é uma história verídica e vivida por mim.

Um aluno inesquecível!

Há muitos anos eu trabalhava com 2º série do Ensino Fundamental em uma pequena cidade do interior do Paraná.
Um dia do mês de março, a diretora da Escola entrou em minha sala puxando pela mão um menino, que aparentava ter uns 10 anos e me disse: “Ele foi transferido e vai ficar em sua sala”.
Acomodei-o em uma carteira, perguntei pelo seu nome e  pelo seu material e a resposta que tive me deixou intrigada.
- Eu não tenho, eu nunca fui à Escola.
Na minha classe só havia crianças de 8 anos e que vinham alfabetizados, como aquele menino estava ali? Peguei um dos cadernos encapados de meu uso, um lápis, uma borracha e alguns lápis de cor e entreguei a ele.
- Você pode fazer o que quiser – eu disse – desenhe, pinte, fique à vontade, mostre para mim o que você sabe.
Ele abaixou ainda mais a cabeça e chorou. Fiquei assustada, mas como sabia da educação e respeito que meus alunos tinham com todos, não era isso que me preocupava, e sim o motivo daquele choro.
Fui até ele, mas antes que chegasse, ele secou com a manga da blusa suas lágrimas, abriu o caderno e pegou o lápis. Neste momento voltei, deixei-o fazer o que quisesse.
As outras crianças procuram conversar com ele, mas ele não respondia a ninguém.
Só na hora do intervalo vim a saber o que estava acontecendo. Peguei o caderno, enquanto ele saía com os outros alunos da sala, e me dirigi à diretoria.
Ao abrir o caderno, estava escrito com letras cursivas e muito bonitas, seu nome e de mais 6 pessoas. Uma delas com uma cruz do lado, o único feminino. Depois soube que era o de sua mãe.
Paulo era o filho mais velho de um casal que morava no interior, tinha mais 4 irmãos e a mãe havia morrido de complicações no parto, há 3 meses. 
O pai até tentara cuidar dos filhos, mas muito pobre, precisando trabalhar na roça e desesperado com a perda da esposa, entregou-os ao Juizado de Menores para serem adotados e desapareceu.
O bebê e os menores, com 3 e 5 anos, imaginei, seriam muito mais fáceis, mas os dois mais velhos, um com 7 e Paulo com 9 anos parecia-me quase impossível. 
Ele não frequentara escola mesmo, era muito longe, e tudo o que sabia fora a mãe quem lhe ensinara.
A então juíza da cidade decidira que eles ficariam todos juntos. Quem quisesse um, teria que querer os 5. 
Como assim? Quem adotaria 5 meninos?
Passados uns dois meses e Paulo que já estava bem ambientado à Escola, mas ainda muito tímido, assim como seu outro irmão, um dia faltou à aula. Quando fui procurar saber o que havia acontecido, recebi a notícia que achava nunca poder ouvir.
Ele e seus irmãos estavam com um casal que viera do interior de Minas Gerais para conhecê-los.
E todo o mês de maio foi assim: Paulo e Marquinhos, seu irmão, chegavam à escola num belo carro e bem vestidos. O irmão de 5 anos e o de 3 já frequentavam a creche e o bebê ficava com o casal, naqueles dias.
Nas férias de julho foram eles que viajaram. Senti muitas saudades. 
Nos meses seguintes, foram muitas visitas.
Quase no final do ano fui chamada para uma reunião. Era com o casal que estava adotando todos os irmãos.
Por pura curiosidade, perguntei a eles o que os fazia querer 5 meninos. E a resposta que a mãe me deu, foi a mais bela que ouvi até hoje:
- Não somos milionários, mas temos muito amor para dar. Tivemos três filhos naturais que já estão formados e o mais novo se casa neste final de ano. Somos novos ainda e queremos que este amor continue não apenas com nossos netos, mas também com aqueles que precisam.
Paulo se despediu da turma uma semana antes do término das aulas prometendo escrever a cada um deles.
Durante os 4 anos que ainda morei lá, recebíamos todo mês, não uma carta, e sim uma fita cassete, com gravações dos meninos e muitos desenhos, bilhetes, fotos e lembrancinhas. Quando fazia dois anos que haviam partido, vieram nos visitar. Depois que mudei de cidade, soube que vieram outras vezes.
Hoje sei que estão muito bem. 
Há uns dez anos atrás, recebi, através de uma amiga, o convite de Formatura em Arquitetura do Paulo. Chorei muito. A felicidade não cabia no meu peito. 
Ele ficou um homem lindo.

Se até uma flor nasce no meio de um espinheiro, como pode o ser humano não amar o seu semelhante? O Amor não pede recompensa, ele é gratuito e não mede esforços para a felicidade do outro.
Paulinho, eu jamais esquecerei de você e de seus irmãos.
 Nilce Gibson

Bjs no coração!



52 comentários:

Meri Pellens disse...

Nilce, você me leva às lágrimas! Que demonstração de amor perfeito desse casal. Lindo! Lindo! Quase surreal no nosso tempo.
Beijo na alma!

GRAÇA disse...

Nice adoramos a sua história verdadeira ,é realmente triste que tanta pessoa podia fazer bem e a maioria só se importa com sigo mesmo!
Ronrons da KIka e bjs da dona

Jaque ઇ‍ઉ disse...

Amiga, linda história. Me emocionei com seu relato. E imaginei sua emoção ao receber o convite de formatura. Deus colocou pessoas maravilhosas na vida desses meninos. Que bom que souberam aproveitar. Uma linda história com final feliz :)

Beijo grande amiga!

Élys disse...

Uma linda história que nos mostra que um dia o mundo será melhor.
Beijos.

Chica disse...

Lindo isso, emocionante mesmo! um lindo dia, beijos,chica e tenho certeza que Paulinho ficou muito feliz...

Eliane disse...

Nilce sua historia é linda !!!Obrigado por dividir um ato de amor conosco. Um beijo da Eliane.

welze disse...

e eu jamais esquecerei essa postagem, absurdamente comovente. um grande abraço

Teresa Cristina disse...

Nilce, meus olhos estão marejados de lágrimas. Que linda história que começou primeiro com o seu ato de amor, de acolher Paulo, de conhecer para além do aluno. São de pessoas assim, como vc, uma educadora de verdade que o mundo fica mais fácil de viver. Vc sabe que com sua atitude carinhosa, salvou uma vida. Fiquei imaginando Paulo...estou muito emocionada. Obrigada por participar da blogagem. Vou participar da sua festa tbm e levar o selinho para o blog. Beijos!! Não sei mais o que dizer...

Gata Lili disse...

Muito bonito seu blog! Eu sou uma gatinha e estou te seguindo porque tb gosto de blogs assim como o seu. Deixo o convite para conhecer o meu e se tiver gatos, me apresenta.

FlorAlpina disse...

Olá Nilce, comovente de tão bela!
Belissimo relato! ainda bem que há histórias com finais felizes...

Bjs dos Alpes

Laninha disse...

Nossa! Fiquei emocionada com a história. O amor realmente faz diferença, né?!
Abraço.

orvalho do ceu disse...

Oi, minha querida amiga Nlce
Hoje o dia está sendo de muita emoção mista: o pesar pela Região Serrana... e o níver do Blog da nossa querida amiga Teresa Cristina...
Como professora, reconheço e me uno à sua históira de amor e tenho um caso similar pra contar-lhe também: um aluno do segundo grau, em Vila Kennedy,no RJ, me surpreendeu com um convite pra sua ordenação sacerdotal depois de anos...
Foi lindo e me uno à sua alegria!!!
Bjs com gostinho de festa de Blog (em breve é o seu, vá se preparando, é muita emoção no ar)

Beth/Lilás disse...

Nilcinha, que história linda de amor e superação! Fiquei até emocionada, pois imaginei a cena da dor que este menino sentia ao ser levado até à sua sala, mas depois meu rosto iluminou-se com o desfecho maravilhoso desta história.
Um dos meus sonhos não realizados foi o de adotar uma criança. Queria tanto, mas não tive apoio pelo lado do marido e hoje, às vezes, quando leio histórias como esta, fico triste em pensar que não lutei e briguei por este sonho, mas seja o que Deus quiser e ele sabe das minhas melhores intenções.
E você também teve uma parcela muito importante na vida do Paulo, meus parabéns!
bjs cariocas

HSLO disse...

Bonito demais sua história...muitos alunos marcam nossas vidas.


abraços
de luz e paz

Marli Borges disse...

Que história, hein, Nilce! E que narrativa! Amiga, você é dez!!!
O convite realmente fechou com chave de ouro esse acolhimento que você fez acontecer. Tento imaginar a tua emoção. Menina, deve ser indescritível! \o/
E o 'pé quente' dessas crianças, que me diz? rsrs

Bjsssssss

Mônica Bif disse...

Nilce que história lindaaaaaa!!!!! Realmente nada somos sem o amor! Uma história que me faz lembrar muito da minha infância, da minha vida, pois meus pais tb são do interior, passaram muita dificuldade na vida, graças a Deus sempre os tive do meu lado, e apesar das dificuldades, eles sempre me apoiaram, me amaram, e até renunciaram muitas coisas por mim, me deram uma boa educação e até hoje, são meu porto seguro, o amor deles sempre é o lugar seguro pra onde eu sei que posso sempre voltar, pedir aquele conselho, receber um ombro amigo, uma palavra de consolo. Hoje sou enfermeira, faço pós-graduação, e tudo graças a Deus e a eles, sempre me amaram e me acolheram, me apoiaram, apesar dos pesares, as lições de amor que recebemos de nossos pais, sejam de sangue, sejam do coração, sejam dos nossos professores(eu tb recebi muito apoio desses mestres), ficam pra sempre gravadas em nossos corações e não se apagam com o tempo... Para quem ama e procura fazer as coisas com amor, tudo vale a pena! Bjsss e fica com Deus!

Gina disse...

Nilce,
Chove na janela aqui ao meu lado e eu diante do micro chorando. Que história!
É muito raro mesmo encontrar pessoas com tamanha doação.
Esse casal fez uma diferença enorme na vida dos 5, mudou o futuro deles.
Tenho vários professores na família e, certamente, eles têm uma coleção de histórias interessantes, umas tristes, outras engraçadas..., mas essa é única.
Bjs.

"(H²K) - Hamilton H. Kubo" disse...

Sigo-me pelas palavras de Meri.
Quase surreal à beira de sua extinção.

Muito linda a história.

Beijos

Leci Irene disse...

Nilce, menina! Que coisa mais linda! Que Deus te abençoe!!!!!!

Kelly disse...

Ser professor nos permite vivenciar experiências inesquecíveis e que nos fazem agradecer pela profissão a cada dia. Adorei sua postagem, linda linda linda. beijos

manuel marques disse...

Só você para me fazer chegar a lágrima ao canto do olho.

Beijinho minha querida.

ϟ ƒααвy ϟ disse...

Oiie, estou seguindo, me segue tambeem?
http://bloggerfaby.blogspot.com/
Obg *--*

Roberta Maia disse...

Lindo,lindo,lindo relato, Nilce!!!
Que uma chuva de Bençãos caia sobre você e sua família!!!

Muita LUZ!!!

lolipop disse...

Querida Nilcinha!
Não há como não ficar comovido com essa história. Isso faz-nos acreditar que tudo é possível, e que existem corações capazes de um amor maior que a vida.
E sabe, fiquei pensando...vc devia ser a melhor professora que se poderia ter...
Carinhos muitos
Parabéns pela postagem!!
PS Assim que possa dou notícias, mas não se preocupa amiga querida.

Marcia disse...

Linda e comovente história.`As maos de Deus agindo...
Obrigada.
Beijos

Lívia Azzi disse...

Que história linda, Nilce.

Seu relato é incrível, acolhe e envolve os leitores a cada linha!

Suspiros...

Beijos!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Nilce, que beleza, fiquei muito emocionado.
O amor que salva vidas, muda destinos, traz felicidade. Essas crianças encontraram seus anjos pelo caminho, você foi um deles. Parabéns.
imagino a sua emoção quando soube da formatura do Paulo. A sua semente, plantada, germinou e deu frutos.
parabéns Nilce, pelo seu grande bem interior.
bjs

Desconstruindo a Mãe disse...

Oi, Nilce,

Feliz 2011!

Acho que esse é o primeiro comentário do ano em seu blog.

Só tenho uma coisa a dizer: a turminha de escola fez toda a diferença, marcou a vida do Paulinho, que agora deve ser um Paulão!

O amor pode ser espaçhado mesmo em pequenos gestos e o acolhimento talvez seja uma das formas mais gostosas de se sentir isso acontecer.

Parabéns pela sensibilidade na situação e na lembrança de compartilhar consoco.

Beijo,
Ingrid

Socorro Melo disse...

Que história, minha amiga!

Estou ainda aqui, com um nó na garganta, e lágrima nos olhos.

Adooooooooooooro essas histórias, não por serem dramáticas,mas,pela beleza e grandeza que elas traduzem, e por nos confirmarem que o amor é imbatível, e que existe pessoas de boa vontade.

Maravilha!

Beijos
Socorro Melo

Karina Alecrim Bessa disse...

Olá Nilce!

Que relato lindo e emocionante. São fatos como este que nos fazem perceber a presença de Deus e que nos levam a acreditar também na humanidade.

Bjs,

Karina.
Blog Mundo Psi
www.karinabessamundopsi.blogspot.com

Beta disse...

Sua história é linda amiga!
Sabe que não sei o que escrever...
vou pensar para ver se dá certo.

bj

KINHA disse...

Olá Nilce

Emocionante... e sucesso ao dr Paulo!!!

Bjoooooooooooooo...........

http://amigadamoda.blogspot.com

Mariazita disse...

Olá, Nilce
A sua história me comoveu demais.
Não fora ser vc a contá-la como verídica, e eu diria que era pura fantasia.
Estamos já tão desabituados de assistir a provas de amor verdadeiro, que histórias assim nos levam a duvidar do potencial humano.
Fiquei muito feliz com conclusão dessa vidas que começaram tão infelizes e acabaram tão bem.

Continuação de boa semana. Beijinhos

Ângela disse...

Nilcinha meu amor, estou aqui, me perdoe pela demora. Você não pode imaginar como estou nesse momento,com os olhos cheios de lagrimas, isso não vale!!!!!! graças ao nosso bom Deus existem pessoas de bom coração, que história linda, e ainda mais porque Paulinho se tornou arquiteto,que força de vontade para quem com 9 anos sabia tão pouco, que força de vontade, porque é um curso que você precisa dar até um pouco de sua alma, exige demais da pessoa... quem me dera poder ter mais 5 filhos do coração, tenho uma vontade imensa de adotar uma criança, (as minhas já deixaram de ser)aqui em casa nós 3 temos vontade de adotar, enquanto não podemos porque nossa casa é muito pequena, ficamos a sonhar, quem sabe um dia!!!!!!!
Muito linda sua história minha querida amiga.
adoro você!
milhoes de beijos no seu coração.

joaquimdocarmo disse...

História linda, Nilce! São exemplos como este que podem alimentar a esperança num mundo melhor!
Beijinho

Inaie disse...

que estoria linda! saber que existem pessoas assim, me da forcas para continuar a caminhada

Lady Dai disse...

Nossa Nilce!
Chorei horrores!
Que bom saber que ainda existem pessoas capazes de amar outro ser que não seja do seu sangue assim....

Muito obrigado pelo comentário viu!
Mas é tão dificil não demostrar que amamos além da conta!

Beijoks

José Sousa disse...

História comovente mesmo! Mas, Nilce... a gente sente esse aperto no coração porque somos sentimentais! Lindo, né?

Beijão querida

Paloma disse...

NILCE, gostei de seu relato. É bom
saber que, neste mundo, ainda exis-
tem pessoas com muito amor para dar
Sabemos que uma só pessoa adotar vá
rios irmãos, é muito raro.

Beijos

Iram M. disse...

Amiga, como vc acolheu Paulo naquele primeiro contato na sua sala de aula ajudou e muito, ele se fortalecer para cada etapa seguinte. Chorei, pois me fez recordar o meu primeiro contato na sala de aula em Brasilia. E sao professores como vc que fazem a gente nao desistir.
Lindo, amiga!
Beijos

Michele disse...

Ni, que história mais linda! Me arrepiei por aqui! Esse deve ser um dos motivos pelos quais você se enche de orgulho de sua profissão. Nada com ajudar alguém, seja da forma que for! E dou graças a Deus que existem pessoas maravilhosas como essa família que adotou os 5 irmãos por amor. Que orgulho vê-lo agora formado, sendo que você faz parte dessa história! :)

E pode deixar que estou me cuidado sim, querida!

Um beijo enorme!

Sonia Beth disse...

Nilce guerreira

Estes garotos tiraram a sorte grande! obrigada querida

Denise disse...

Oi minha querida,

Parabéns pela pessoa que é, por nos partilhar uma história tão linda e comovente.

Ainda bem que estou em casa para apreciar este post tão lindo, se fosse no trabalho ninguém iria entender as minhas lágrimas... rs

O amor supera tantas barreiras, é impressionante.

Bjos carinhosos

diariodumapsi disse...

Nossa Nilce, me arrepiei com essa história! Histórias de abandono e morte me tocam profundamente.
Que bom que essas crianças encontraram pesooas tão boas em seus caminhos que os possibilitaram seguir a vida!
Gd beijo

Isa Mar disse...

Vixe, to quase chorando aqui, que história linda!
Essas coisas que fazem a gente nunca deixar de acreditar que tudo pode acontecer e que o amor é o mais belo dos sentimentos
Amiga, vou dar uma viajadinha rsss volto segunda ou terça
Bom fim de semana pra ti, beijosss

Yoyo Pizy disse...

Amiga, estou tendo enorme dificuldade para abrir seu blog.Verifique isso.Desde ontem tento comentar e só agora parece que vai dar certo,rs.
Li seu post e me emocionei demais com essa história.Quase chorei de emoção.
Quanto a sua blogagem no dia 18, pode pcolocar meu nome na lista, pois estou dentro.
bj no core

Lúcia Soares disse...

Nilce, chorar é pouco!
Como gostaria de ser como esse casal! Quer maior prova de amor?
E que pai é este, que mesmo no desespero, abre mão de 5 crianças? Vai-se entender o coração humano...
Como eu gostaria de conhecer o Paulinho!
Bj

Fernanda Reali disse...

Ganhei meu dia lendo isso! Obrigada, Nilce!!!

GANHEI MEU DIA lendo isto http://www.nilceguerreira.com/2011/01/acolher-um-ato-de-amor.html

Marise von disse...

Nilce,
que história...
lendo esta história é que sentimos que Deus existe e que o amor é a coisa mais importante, não existe bem maior queo amor.
Parabéns pelo seu trabalho.
Abraços,
Marise.

sissi disse...

passei aqui por acaso! e eme emocionei muito com esse relato! num mundo de tanta tragedia e desamor uma bela história para fazer-nos refletir! um abraço sissi