Minha infância, minha vida, meus amores e dores; minhas idéias e meus ideais; idéias alheias, conversação entre sorrisos e lágrimas, tudo contado de uma maneira gostosa e com uma pitada de bom humor por uma pessoa FELIZ!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Exibicionismo e irresponsabilidade!

fonte foto

É fácil encontrar por aí, carros rebaixados, super potentes, os chamados “modificados” e dentro deles, nossos jovens querendo mostrar sua “força”, seu “poder”, numa competição assassina pelas ruas e rodovias do Brasil.
A falta de responsabilidade em nome do exibicionismo, da tentativa de “se mostrar”, “aparecer” diante dos outros, está tirando a vida dos nossos meninos e de muitas pessoas que infelizmente estavam no lugar errado, na hora errada.
Muitos desses, com a conivência dos próprios pais que, acham bonito, ficam orgulhosos com tamanha ignorância e pagam pela irresponsabilidade dos filhos.
Lembro quando, no início deste ano, um amigo, perdeu o filho de apenas 19 anos em um acidente. O rapaz, que já dirigia, para orgulho do pai, desde os 11, não queria mais estudar e como filho único, mimado, o pai se achava incapaz de compensar o que achava ser sua culpa.
Deu-lhe um carro e até ajudou o filho a rebaixá-lo e turbinar, estimulando-o à competição numa busca desvairada do compensar uma falta.
Durante a cerimonia de sepultamento, o pai repetia o tempo todo: “Eu dei de presente uma arma para meu filho, eu o matei”.
Isso é muito triste. É a demora na descoberta do errado.
Não falo dos acidentes envolvendo jovens por irresponsabilidade de nossos governantes, isso já é outra história.
Por que estou falando sobre isso?
Na verdade, queria apenas contar o que aconteceu aqui, na segunda-feira, que ao contrário de tragédia, foi hilário para quem assistiu e caso de revolta para outros e para o envolvido.
É comum por aqui, nas sextas e sábados à noite, depois de um encontro que acontece em uma revendedora de motos que fica bem em frente ao prédio onde moro, o exibicionismo na rua.
Irresponsavelmente, pegam as motos e começa o show. Não passam de voltas pela quadra, mas, empinam as motos, fazem manobras “radicais” e outras peripécias que não preciso descrever.
Polícia? É muito difícil aparecer. Se aparece, eles guardam as motos no pátio e ficam a comer e beber sossegados, como se estivessem apenas a comemorar mais um final de semana.

Voltando à segunda-feira à tarde, eu, quietinha aqui no meu apartamento, comecei a ouvir um barulho estranho de moto. Digo estranho, porque ela, com um barulho muito forte, ia e vinha na mesma quadra seguida de gritos de euforia.
Curiosa, saí na varanda para observar. Um rapaz empinava sua moto e já havia conseguido um bom público, inclusive eu. Quando pensei em ligar para a polícia, pois achei que era minha obrigação, aconteceu o previsto.

Numa das “empinadas”, a moto se foi e ele ficou. Felizmente. Ela sozinha foi direto ao poste de iluminação do canteiro central.
Desculpem-me, mas tive que rir. Com ele nada aconteceu, mas a moto, coitada, espatifou-se de lado no poste que por sinal é enorme.
Mais interessante foi a reação do rapaz, diante do fato, talvez por vergonha de seu público.
Foi lá chutou a moto, deu um murro no poste e saiu, deixando a outra abandonada lá.

Sua reação me pareceu uma cena bem infantil. Parecia uma criança quando quebra um brinquedo e diz: “eu não queria mais mesmo”, “não gostava dele”, “meu pai compra outro”.

É assim mesmo que acontece. Os pais compram outros. Outras armas para que seus filhos se matem ou acabem com a vida de inocentes, como poderia ter acontecido neste caso.

Não fotografei porque ainda estou preferindo as flores.

Até quando?
Até quando vamos ficar vendo tudo isso?
Até quando a irresponsabilidade será maior que o valor do ser humano?
Do que uma vida?

Bjs no coração!

43 comentários:

Meri Pellens disse...

Nossa! Podia ter morrido. É por isso que às vezes a desgraça acontece, para avisar, dar lição... No caso, será que o jovem compreendeu alguma aviso ou lição pra sua vida?
Beijos na alma, Nilce!

Pepi disse...

Olá Nilce,
É, hoje em dia a falta de valores,
a banalização dos fatos tornou-se algo normal...infelizmente
Tenha uma linda tardinha, tudo de bom
Lambeijos e Ronrons
Pepi e Xixo

Misturação - Ana Karla disse...

Ai Nilce que triste ver a irresponsabilidade dos pais em quererem proporcionar sempre o melhor aos seus filhos, mas acabam muitas vezes desse jeito.
A gente sabe que carinho e amor também vem da palavra "NÃO".

Xeros

Denise disse...

Olá Nilce!

Reitero que nesta geração não existe a palavra ordem, não só aí como também onde moro vejo atos estúpidos e desnecessários.

Se não há educação e responsabilidade fica difícil de acabar com isso.

Parece que não existe mais compreensão e paciência hj em dia né?

Bjinhos

Cantinho She disse...

Queridona, preciso sair agora, e então volto depois para continuar a leitura por aqui... beijo, beijo e SHEirinhos... hehe ;)

Bordados e Retalhos disse...

Querida vc foi a a ganhadora do meu sorteio. Deixei uma mensagem no seu e-mail pra vc. Bjs

anita sereno disse...

ola minha querida
estive a ler atenta ao que te manifestas e acho que estas pessoas não tem carácter algum ,
na maioria das vezes são pessoas com mais dinheiro mais bem social
que fazem essas cisas por que não sei para se exibirem? como falas e com razão vejamos se morrer que aconteceria e já pensou na dor desta mãe !!!
beijos na alma minha querida amiga

Lúcia Soares disse...

Oi, Nilce.
Um exibicionismo perigoso, realmente.
Quando acaba como a moto, apenas um bem material, ok. Pior é quando causam mortes prematuras, como o filho do seu amigo.
Uma tristeza sem fim.
Graças a Deus meus filhos cresceram ajuizados e tranquilos.
(Melhorou a enxaqueca? Li no blog da Giovanna. E parabéns pelo presente, sortuda!)
Beijo!

Lúcia Soares disse...

Oi, Nilce.
Um exibicionismo perigoso, realmente.
Quando acaba como a moto, apenas um bem material, ok. Pior é quando causam mortes prematuras, como o filho do seu amigo.
Uma tristeza sem fim.
Graças a Deus meus filhos cresceram ajuizados e tranquilos.
(Melhorou a enxaqueca? Li no blog da Giovanna. E parabéns pelo presente, sortuda!)
Beijo!

Cigana do Oriente disse...

É amiga, esse é o materialismo e o consumismo imperando.
Falta de Deus no coração, falta de responsabilidade e principalmente falta de uma cultura espiritual.
Também ri aqui imaginando a cena kkkkk
beijos de Luz pra você!

Leci Irene disse...

Perguntas dificeis de responder! Até respondo com outra: onde será que os pais e a escola estão errando na educação destes meninos?

Tati Pastorello disse...

Oi Nilce, a lembrança que me veio foi mesmo de uma reação infantil. Quando o bebê bate a cabeça, por exemplo, e fala: cadeira feia, chão feio. E dá um tapinha no objeto... sabe como?
A cena pode ter sido engraçada, a situação é mesmo crítica!
Beijos.

ValeriaC disse...

É lamentável este tipo de comportamento amiga...mais triste ainda quando vem acompanhado da conivência dos pais...
Beijinhos...
Valéria

Marliborges disse...

Nilce, assim como tu, eu só tenho perguntas. Mas parece que eles não. Parece estarem cobertos de certezas. Onipotentes. Bjssss

Marliborges disse...

Nilce, assim como tu, eu só tenho perguntas. Mas parece que eles não. Parece estarem cobertos de certezas. Onipotentes. Bjssss

Chica disse...

É mesmo muito incrível e eles não pensam no DEPOIS!!!Pena!beijos,chica

Bia disse...

Oi Nilce!

Muito interessante seu post!

Essa questão da "irresponsabilidade" é complicada, porque, já fomos jovens também e sabemos que esse gosto pelo "errado", esse prazer da aventura, do perigo, é algo comum aos mesmos. O problema é quando os pais, supostamente os que deveríam ser mais maduros que os filhos, se mostram tão "aborrecentes" como eles! E tem outra: vivemos num mundo que nos culpa por tudo! Somos culpados por educar demais um filho ou por soltá-lo demais! Todo mundo quer tirar o corpo fora! Se cada um assumisse seu verdadeiro papel na vida, de pais, educadores, policiais, etc...o mundo não veria muitas cenas como essa!
Bjs

Cantinho She disse...

Nilcinhaaaaaaa acabei de ver que foi vc quem ganhou o sorteio lá da comemoração de 1 ano do blog da Gi... hehehe
Meninaaaaaa fiquei tão feliz que parecia até que era eu a vencedora... rsrs
Beijo, beijo! ;)

PS: Agora vou ler o seu post...

Cantinho She disse...

Nilcinha, adorei a forma q vc escreveu sobre o assunto, o problema lamentável de nosso país é a impunidade... beijo, beijo e SHEirinhos! ;)

Kelly disse...

Nilce minha querida, vejo essa cena triste, sempre mas pior é que vejo na estrada. Todas as vezes que vou para Marília, vejo essas manobras ridículas na estrada repleta de carros e caminhões. Tenho tanto medo pela minha vida da Sofhia e do Miguel, esses irresponsáveis não estão nem ai pra nada!!!!!
Beijos

ONG ALERTA disse...

Acredito que acidentes ocorrem, mas a.judar com que eles aconteçam é irresponsabilidade, o maior exemplo vem de dentro de casa.
O problema é que os pais acham que com eles nada acontece até um dia tocar o telefone e dizer " DEU TUDO ERRADO".
Beijo Lisette

Jaque ઇ‍ઉ disse...

Amiga, é tanta irresponsabilidade... E não é de hoje que isso acontece. E é bem isso mesmo, os pais passam a mão na cabeça e o cara acha que é certo e continua fazendo.
A polícia já de tempos que não tem controle nenhum...

Beijos

Luma Rosa disse...

Alguns pais são coniventes e outros nem sabem o que os filhos fazem na rua. Sabe que pais são fáceis de serem enganados, bastando qualquer histórinha ou então, estes pais fingem acreditar nas histórias porque é mais fácil se iludirem do que enfrentar os problemas de frente. A esses pais que investem no erro dos filhos, dou-lhes uma banana! Isto que merecem, pois não vou desejar o caminho pior para que aprendam.
Tenho um filho adolescente e fico super preocupada, já com antecedência quando ele tirar a carteira e dirigir efetivamente. Não por ele, mas por outros que colocam a vida alheia em risco. Afora isto, as drogas, incluindo as bebidas alcoolicas. Recentemente em férias em Campos do Jordão, aconteceu um caso escabroso na cidade. O garoto mimado, filho de pais separados, se sentindo rejeitado pelo pai, chegou de uma rave e muito louco, cortou o pescoço e os pulsos! Sangue jorrou e ele apavorou, saiu pela rua, mas era tarde! Foi uma noite de terror para quem viu. O pai, como este que você mencionou, também se maldizia no velório, pois deu tudo de material, menos aquilo que o filho mais queria: Carinho.
Boa semana! Beijus,

diariodumapsi disse...

Realmente essas brincadeiras são um perigo. E eles não pensam nos outros, só pensam egoisticamente no seu prazer imediato.
Mas quer saber? Ele devia ter mais frustrações, para quem sabe amadurecer!
Gd beijo

Nika disse...

olá Nilce, pois é exibicionismo tbm é moda, o que eu acho ridiculo , o pior é que na sociedade que vivemos os pais preferem encher os filhos de bens materiais, do que de valores como respeito, humildade, os pais temem dizer não aos filhos por medo de não serem amados e a cada dia que passa vemos uma sociedade mais futil na rua exibindo seus carrões e motos porém no conteudo e carater quase nulos...como li hj em um email esta na hora de parar de ensistir tanto em deixar um planeta melhor para nossos filhos e começarmos a deixar filhos melhores para o planeta..
bjs.....

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Nilce. Infelizmente a gente sabe por aqui quem é brasileiro por causa do carro "tunado" ou da moto exibida.
Não faz muito tempo um conhecido morreu nessas brincadeiras de empinar moto, fazer manobras radicais.

Bem feito para o rapaz que caiu. quem sabe assim ele deixa de ser ridículo? Vai ver que foi Deus que o "derrubou". Pra ele perder essa mania de querer aparecer e evitar até um mal maior na vida dele (morrer por causa da moto mesmo).

E o rapagão em cima da moto tem alma de bebezinho mimado, q coisa triste.

bjs querida Nilce! bom dia, adoro vc

ஐ¸.Lady .¸ஐ disse...

Essas pessoas são sem noção.Não consigo entender essas atitudes,juro!
Doce Nilce, obrigada pela presença, você é uma pessoa que admiro e tenho imenso carinho viu?
Tenha uma noite de paz.
Bj

Ramonices disse...

É foda isso, são armas na mão de crianças, o pior que muitas delas tem poder financeiro, politico, etc. então quando fazem suas merdas não acontece nada com eles, lembrando o caso do ex-deputado estadual Fernando Ribas Carli Filho que matou 2 em Curitiba e até hoje não aconteceu NADA...

Abraços Thiago Ramone.

Dama de Cinzas disse...

Sinceramente não consigo entender esses rapazes que arriscam a vida e sua saúde pra parecem fodões, e quando digo que não consigo, é porque já tentei, já pensei no que os leva a agir dessa forma e só encontro respostas tolas...

Pelo menos esse aí do seu relato saiu bem da situação, mas não deve ter aprendido nada!

Beijocas

Cris França disse...

até quando Nilce??????

com tantas vidas marcadas pela desgraça, quando a gente vai aprender?????

bjs querida , belo texto

ONG ALERTA disse...

Verdade os jovens acham que sabem tudo, mas não podemos esquecer que nós já fomos jovens e pensamos a mesma coisa!!!
Beijo Lisette

Betty Gaeta disse...

Nilce,
Mozart se exibia tocando. Da Vinci se exibia pintando. Quem não tem nada de bom e quer se exibir, dá nisto. Como não aconteceu nada com o rapaz? Garanto que está com a bunda ralada!
Bjks e uma ótima quinta-feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Lizandra disse...

Eu acho ridículo ficarem "aparecendo" assim. Mas, nessa cena com certeza eu riria, foi uma reação muito infantil mesmo.

Pepi disse...

Olá,
Como vai?
Tem selinho para você no nosso Bloguinho
Esperamos que goste...
Tenha um ótimo dia
Ronrons do
Xixo

Barbie Girl disse...

Lindona,
Parabéns pelo sorteio, viu é só concorrer para ganhar!!
E hoje vim te convidar para minha festa, tem blogagem coletiva e muitos presentes! Te espero lá!!

beijos

Tabeteimasu disse...

Olá Nilce,
Realmente isso é um problema sério. O pior não é o indivíduo morrer, mas sim quem ele leva junto. Sou meio ignorante neste ponto. Se a pessoa estava tirando racha ou empinando moto e morreu, já foi tarde! Mas muitas vezes eles causam acidentes com pessoas que não tem nada a ver e que estavam dirigindo corretamente.

Infelizmente a resposta para sua pergunta é simples. Isso vai durar enquanto houver impunidade para os crimes de trânsito...

Bjo,
Carlos

Ricardo Calmon disse...

Pura magia ter vc em campos meus ,girassol Nilce de amor amizade esse de vida minha yessssssssssssssssssss!

ai lovi iou, em amizade forma yessssssssssssssssssssssssssssssssssssss

viva la vieeeeeeee

Fernanda disse...

Amiga Nilce!

Afinal é igual por todo o lado!
Tenho um só filho, agora já um homem, com 31 anos.
A luz dos meus olhos! como para todas as mães.

O meu único filho foi educado com se tivesse um cento de irmãos e irmãs...
Nada de supérfluo lhe foi dado.
Ele também quis uma moto, mas ele foi trabalhar nas férias escolares para a comprar.
Mal a comprou tratei de o desmotivar da moto. Eu própria lhe ensinei a conduzir o meu carro, às escondidas do pai...
porque ele não tinha ainda idade, mas nós estávamos sempre juntos e ele só conduzia em sítios bem ermos, sem perigo algum, nem para nós próprios.
Assim consegui que ele se apaixonasse por automóveis e hoje ele só ainda não tem brevet para pilotar...
mas terá, até porque trabalha no aeroporto de Zurique.
É um sonho que acontecerá mais tarde ou mais cedo.

Amiga, sempre falo de mim, da minha família, desculpa.

O que sei dizer, no geral, é que há muito irresponsabilidade, desde logo, por parte dos pais, sem dúvida.
Depois, os adolescentes, por natureza, são imprudentes...
brincam demais com a vida, sem terem noção exacta de que ela é única!

Ainda, e para terminar, eles têm uma noção errada do perigo de morte, que lhe é incutida por todos esses jogos que os acompanham desde bem pequeninos, até a banda desenhada, onde todos os heróis são até baleados e não morrem...
Está tudo errado. Tudo!

Há dias, chamei mesmo a Guarda para pôr fim a uma cena do género da que presenciou.
A diferença aqui, é o o rapazinho, vinha para aqui, onde há um bom piso, a estrada é boa, e numa parte, quase em frente ao meu portão, há uma entrada para um terreno que está em terra batida,
Então, o menino, fazia ali peões e um barulho ensurdecedor...
Para não falar que deixava a estrada perigosa para os outros condutores.

Acabou.
Pelo menos aqui, acabou-se a brincadeira ...

Beijos

nemacharmosa disse...

Bom dia Nilce,mas mesmo asim eles não aprendem...
Beijão gostei do video