Minha infância, minha vida, meus amores e dores; minhas idéias e meus ideais; idéias alheias, conversação entre sorrisos e lágrimas, tudo contado de uma maneira gostosa e com uma pitada de bom humor por uma pessoa FELIZ!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Ah, que saudades!!!












Ah, se eu soubesse...
Que teria tanta saudade,
Saudade da minha infância,
Tempo que não volta mais,
Teria exigido mais mamadeira,
Não teria largado a chupeta,
E ficado mais um pouco
No colo dos meus pais...


Ah, se eu soubesse...
Que crescer é ruim,
Pedia a Deus para ficar menina,
Teria brincado mais de casinha,
Pela boneca tinha feito biquinho,
Não teria tentado ser adulta,
Exigia a infância mais um pouquinho,
Teria sido infantil um pouco mais...


Ah, se eu soubesse,
Que Infância é coisa tão bela,
Teria pulado mais a janela
Para brincar nos quintais.
Teria chorado menos,
Teria dado mais sorrisos,
Teria falado menos
E ouvido muito mais...


Ah, se eu soubesse...
Que na minha infância
Tudo era uma brincadeira,
Teria vivido de outra maneira,
Não teria pedido jamais,
Pra que a juventude chegasse,
Exigia que o tempo parasse,
Teria implorado brinquedos mais...


Ah, se eu soubesse...
Que ser criança é lindo,
E eu vivia sorrindo,
Teria reclamado menos,
Teria sentido um pouquinho mais...
Teria roubado mais romã,
Brincado mais de pique-esconde,
De bolinha de gude, de patinete
E carrinho de rolimã.


Ah, se eu soubesse...
Que na minha infância,
Havia tanta inocência,
Havia amor até demais.
Teria corrido atrás dos meninos,
Subido mais no abacateiro,
Jogado mais queimada na rua,
Brincado na cachoeira nua
Sem medo de adultos, jamais


Ah, se eu soubesse...
Que os dias da minha infância
Eram longos e cheios de encanto,
Teria corrido mais pelo campo,
Comido mais pitanga e amora,
Brincado muito, jogado fora o tempo
Com bichinhos que não tenho mais...
Soltado mais pipas ao vento,
Pulado corda, jogado amarelinha,
Gastado com minha amiguinha
Um tempo que não temos mais.


Ah, se eu soubesse...
Que na minha infância,
Medos eram coisas tão banais,
Teria andado tanto de bicicleta,
E me esfolado mais um pouco,
Deixado meu pai mais louco
Por me buscar em hospitais.
Brincado com meus irmãos mais um tanto,
Aos amigos feito cara de espanto,
Brigado menos, os amado muito mais...

Ah, se eu soubesse...
Que na minha infância,
Tinha força, era saudável,
Que tudo ficava amável,
Teria chorado um pouco mais.
A minha mãe me cuidando,
Eu teria ficado mais doente,
E mesmo sorrindo contente,
Estaria sofrendo bem menos,
Não teria remorsos jamais.


Ah, Senhor, que saudades...
Saudades da minha infância,
Das brincadeiras de roda,
Em que eu ditava moda,
Gostava de ter liderança,
Com as amigas e as demais.
Sonhava em ser cantora,
Bailarina, mãe, professora,
Ter dinheiro em abundância,
Carros, motor-home, caminhões
Para viajar pelo mundo em paz!


Agora, sinto vontade,
Vontade de ser criança,
Vontade sem esperança,
De um tempo que não volta mais.
Sofro a falta do carinho,
Carinho que só se dá às crianças
E de amores que não tenho mais.
Coisas que só trazem saudade,
Minha infância, minha idade
E do carinho dos meus pais!

 
 
Bjs no coração!
 
  fonte: imagens

19 comentários:

Elaine disse...

Nilce,
Que lindo que ficou!
Você fez sozinha?
E o poema, é seu mesmo???? Que lindo!
Taí uma coisa que eu não sei fazer: poesias snif snif
Beijos, querida e obrigada por todas as suas palavras lindas e gentis sobre mim e para mim.

Nilce disse...

Alexandre

Verdade que vc gostou? Ui, que vergonha que eu tinha de por aqui.

Obrigada pelo carinho.

Bjs no coração!

Nilce

Nilce disse...

Oi, Elaine

Que satisfação tê-la por aqui. Fui eu mesma quem fez. Não conseguia publicar por medo de acharem feia, sem graça.

Nem acredito que pelo menos vcs dois gostaram.

Bjs no coração!

Nilce

lolipop disse...

Seu poema é lindissimo. Ia lendo e a pensar de que poeta famoso seria...você tem alma de poeta amiga!
Me deixou até um pouco triste, porque pra mim as saudades da infância, são saudades da minha mãe, minha mámi, uma doce que há pouco mais de um ano me deixou...
Foi pouco depois disso que comecei o Banzai.
Beijos e ternuras docinhas

Betty Gaeta disse...

Oi Nilce,
Parabéns, o poema é belíssimo. É tão bom ser criança ...
Bjkas e uma ótima terça-feira.

Glorinha L de Lion disse...

Nilce minha querida, colocou seus sentimentos pra fora...é assim que se faz...escrevendo todos os dias a gente vai domando mais as palavras, exercitando a mente e os pensamentos...garanto que chorou quando escreveu isso tudo...não foi bom relembrar desse tempo?...é assim que se começa...não tenha vergonha, coloque tudo no papel e mãos à obra! beijos

Em busca de mim disse...

Nilce, que saudade da minha infância também... belíssimo poema!
Posso postar no meu blog? Colocando os devidos créditos e diulgando seu blog, claro!
Me responda...
Gd beijo!

Nilce disse...

Oi, Margarida

Obrigada pelo incentivo. Marido exigiu que eu postasse e eu com medo dos comentários, rsrs

Betty, nem me fale, tenho tantas histórias... vc nem imagina, muitas delas dariam uma comédia. Obrigada.

Glorinha, receber elogio seu é demais para mim. Vc já é uma escritora maravilhosa. Chorei muito sim, mas foi só de saudades. Minha infância foi maravilhosa. Obrigada mesmo pelo incentivo.

Bjs no coração!

Nilce

♥ Lady ♥ disse...

Olá!
Estou me sentindo no céu.
Que poema maravilhoso é esse?
Parabéns moça!
Não esconda mais seus tesouros.
Deixo aqui meu carinho e o desejo que seu dia seja especial.
Carinhosamente, Lady.

Marliborges disse...

É hoje! Primeiro leio aquela poesia nostálgica que acabei postando lá no meu blog, agora venho aqui e dou de cara com essa beleza, com essa explosão de sentimentos!!! É hoje!!!
Parabéns, lindo e comovente poema! Bjssssssss

♥ Lady ♥ disse...

Oi flor!
Obrigada pela preciosa presença em meu jardim.
Retribuindo a gentileza, seguindo e linkando.
Vamos seguindo a vida sempre feliz e cantando.
Bom descanso.
Paz e luz.
Bj

Kari . disse...

ahh, que lindo, ameei mesmo...apesar de não fazer tanto tempo que minha infância passou, eu já sinto saudades dela, queria ter aproveitado mais ainda, aquela inocência que não vai voltar... e sei, que essa saudade só vai aumentar ainda =/

bom, é isso
beijão :*

Denise disse...

Uaaauuuu arrasou Nilce com o poema!!!

Faço das minhas palavras concordando com os outros comentários, tá belíssimo!

A infância é um dos momentos mais belos da nossa vida, e tb o mais marcante. É nessa fase que descobrimos o que gostamos, o que buscamos, até pq qdo se é criança é ser mais espontâneo, então deixamos aflorar nossos sentimentos sem culpa.

E qdo tiver mais poemas, por favor deixe exposto pra gente poder admirar, tá bom!

Eu tb gosto de fazer poemas, mas ultimamente com a cabeça cheia não ando mto inspirada... precisava relaxar mais!

Bjos e boa quarta!

lolipop disse...

Nilcinha, você espreitou o vídeo de lingeris que postei?
Beijo

José Sousa disse...

Olá Nilce... você é uma ternura, sabia?
Ao ler os seus poemas me sinto igual a você.
Se eu soubese tambem queria ser criança toda a vida, não tem nada melhor que ser criança. Criança tem inocência, não tem dentro de si aqueles mecanismos fazem sofrer os nossos corações..
Um beijo em seu coração.

Kelly disse...

puxa, Nilce, minha infância foi maravilhosa, mas com a morte da Ká ela se foi, se acabou, pois toda nossa infância vivemos juntas, pena que não volta mais....beijos

cantinho she disse...

Minha queridaaaaaaaaaaaaaaaaa que lindo! Não tenha medo não, vc escreve muito bem, lindo demais! Amei cada estrofe!
Bjo, bjo!

alyce123 disse...

Oi amada!

Vim te dar um selinho...teublog é uma delícia..

Maria Alice