Minha infância, minha vida, meus amores e dores; minhas idéias e meus ideais; idéias alheias, conversação entre sorrisos e lágrimas, tudo contado de uma maneira gostosa e com uma pitada de bom humor por uma pessoa FELIZ!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Blogagem Coletiva - RAIVA!!!

fonte imagem

"Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel."
(William Shakespeare) 

Muitas são as definições para raiva.
os que separem esse sentimento do ódio e há os que os coloquem num mesmo patamar pelo fato da agressividade estar presente nos dois.
Não poderia ser hipócrita em dizer que não tenho ou que nunca senti raiva.
Todo sentimento, seja ele bom ou ruim, faz parte do ser humano.
O que se difere é de como cada pessoa é capaz de senti-lo e de conseguir controlá-lo.
Uso muito a frase: “Ai que raiva”, quando me acontece algo contrário ao que desejo.
Ultimamente ando com uma raiva da minha net...rsrs
Há outras raivas que posso sentir no meu dia. Quando, por exemplo, vejo que falei mais do que devia, magoei alguém, tentei fazer algo e não consegui.
Quando me machuco sem querer, quando vejo que exagerei no que comi, no que comprei (esse é o meu fraco), e muitas outras coisas. Então, sinto raiva de mim mesma.
Quando quero descansar e o barulho dos políticos na rua não deixam... ”ai que raiva”!!!
Ah! Ando com muita raiva do horário político também. Não porque queria estar vendo algo, mas porque sei que estão fazendo uma lavagem cerebral em muitos.
São tantas as nossas raivas. Isso são coisas momentâneas e logo esquecemos e estamos a rir de nós mesmos.
Mas, ainda acho, que o mundo está tomado de ódio, uma ira com tudo e com todos.

"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar."
(Nelson Mandela)

Acho que não estamos fazendo a lição de casa. São pais colocando sua raiva em cima dos filhos, são pessoas descarregando seu estresse num ódio por pessoas que nem mesmo conhecem, num minuto de fúria, na rua, em plena luz do dia.
E esse ódio está se transformando num problema de saúde, que precisa urgentemente de tratamento.
Consigo diferenciar a raiva do ódio por experiência própria.
Quando sinto raiva, choro, grito, me escondo, peço perdão se for o caso e logo esqueço. Não passa de certo tempinho. Não consigo guardar para o dia seguinte. Passa e fico muito feliz quando me lembro daquele momento e não sinto nada de ruim.
Mas, infelizmente eu já senti ódio. Esse ódio capaz de machucar.

“O olhar de quem odeia é mais penetrante do que o olhar de quem ama”.
(Leonardo da Vinci) 

E por ter sentido uma vez, por provar do mais desprezível dos sentimentos em minha opinião, é que aprendi que o perdão ainda é o melhor remédio para nós mesmos.
Ainda bem, que este sentimento horrível me veio cedo e mais cedo ainda, me serviu de aprendizado e me fez ter a certeza de que nunca mais quero senti-lo, ou melhor, me deu a certeza de que nunca mais vou senti-lo.
Quando tive essa experiência terrível, o ódio me fez encostar a mão em uma arma e desejar tirar a vida de uma pessoa. Foi um ímpeto de fúria tão grande, que mesmo agora depois de tanto tempo, sinto uma dor de cabeça muito forte ao lembrar-me.
Como eu fui capaz???
Mas, uma mão que considero Divina, encostou-se à minha, e me fez correr dali e pedir perdão por tudo. Não àquela pessoa a qual meu ódio era dirigido, e sim, às minhas crenças e a mim mesma.
Não pensem vocês, que meu ódio se desfez assim imediatamente. Sofri calada, com aquele sentimento me corroendo por dentro, desgastando meus dias e me fazendo machucar quem quer que se aproximasse de mim.

"Para a maioria dos homens, dor significa ódio, e ódio significa vingança."
(Paolo Mantegazza) 


Não podia pedir ajuda, não tinha a quem recorrer.
Tinha apenas que fingir uma alegria para garantir um mirrado emprego e poder sustentar meus filhos. As pessoas não imaginavam o que corria em meu peito, em minha mente.
Eu não conseguia nem chorar. Meus dias se transformaram em desejar o mal, em pensar coisas horríveis.
Não podia mais ser dona do meu próprio pensamento e me pegava a imaginar uma saída trágica para tudo aquilo.
Perdi meu chão e quase perdi minha vida.
E sei muito bem quanto tempo isso durou. Seis meses.
Seis meses que pareceram uma vida.
Até que um dia, decidi que não poderia mais viver assim.
Resolvi que poderia dividir com alguém meus sentimentos.

"Quando o amor enche o coração, não deixa nele lugar para mais nada. Nem para o ódio, nem para o rancor, nem para o orgulho."
(José Mallorqui) 

Foi quando esse alguém me disse que, enquanto o perdão não tomasse conta de mim e o amor se sobressaísse, eu não conseguiria voltar a viver.
Aí, então, que começou o meu processo de libertação que só o perdão pode dar, e com isso consegui limpar a minha consciência.
Foi quando aprendi que o amor é maior que tudo. Que perdoar é divino, além de fazer o bem a nós mesmos, muito mais que ao perdoado.
E não foi dirigindo-me àquela pessoa que consegui me libertar. Foi comigo mesma esse encontro.
Descobri que passando esse tempo odiando, havia perdido seis meses da minha vida. Que foram muito mais dolorosas as conseqüências do que eu sentia, do que a própria causa desse sentimento. Que passei todo esse tempo deixando de construir a minha vida, tentando desconstruir a de outra pessoa.

"A vingança nos torna iguais ao inimigo; o perdão faz-nos superiores a ele."
(Autor desconhecido) 


Juntei as pedras que barravam meu caminho, construí um castelo junto com meus filhos; afastei os espinhos e apreciei as rosas; vivi um milhão de sentimentos que elevaram meu autoestima.
Aprendi que o mundo não é só flores, mas que podemos cultivá-las, retirando as pragas e deixando somente a exuberância do belo.

"Não haveria o direito de vencer, se não houvesse o direito de perdoar."
(Eça de Queiroz ) 

Hoje, passados todos esses anos, quando olho para trás, sinto que a felicidade estava naquilo que tinha que acontecer. Que se havia um problema, ele tinha solução.
Encontrei-me, fiz uma catarse do passado e consegui me amar de verdade sem esperar a compreensão de ninguém. A perdoar e não guardar raiva, rancor ou ressentimento, encarando meus medos e tendo coragem para recomeçar a cada vez que for preciso.
A amar a todos sem esperar reciprocidade. Que o meu passado me serviu de experiência de evolução e que a minha felicidade só depende do amor que sinto por mim mesma.



Nilce Gibson

Este texto faz parte da Blogagem Coletiva do blog Café com bolo.
 
Bjs no coração!

51 comentários:

Taia Assunção disse...

Acho que nunca senti nada tão profundo assim, já me magoei e perdoei ou deixei para lá. Tem coisas que não compensa e só desgasta a quem senti. Meu pai biológico nos abandonou: a mim, minhas irmãs e minha mãe avisando-nos através de uma carta. Mas em menos de dois anos minha mãe refez a vida e me deu um pai maravilhoso. Acho que isso me salvou desse sentimento, em compensação marcou profundamente minha irmã do meio que é mais velha e absorveu mais as dores desse momento. Tive outras dificuldades na vida, mas acho que a segurança do Lar me preparou para lidar melhor com as adversidades. Respiro, reflito, conto até 1000 de marcha ré e sigo em frente. Beijocas!

Nilce disse...

Sabe, Taia,

Tudo isso que eu contei vai surpreender algumas pessoas ou mesmo chocar.
Nem os meus sabiam disso, e muitos não vão saber.
Mas, foi uma fase que não deixou marcas, ao contrário, me fez crescer como ser humano e aprender muito mais a amar o próximo e a mim mesma.
Admitir não é fácil. Sei de muitas pessoas que tiveram seus momentos na vida e agora que tudo passou, negam que tenham sentido isso ou aquilo.
Meu crescimento foi total depois disso. Foi horrível, mas passou.
Para mim foi como um parto, eu lembro como é a dor e me cuido para não senti-la mais. rsrs
Procuro viver bem com todos e principalmente com a família maravilhosa que construí.

Bjs

Taia Assunção disse...

É isso aí, bola pra frente. Valorizemos quem merece e dá-lhe anticoncepcional...rsrsrs (não resisti a metáfora, afinal nada melhor do que isso para evitar novos partos)...beijocas minha querida.

Meru Sâmi disse...

Oi, Nilce!

Há um ditado que diz que quando a lição é tão difícil é porque o curso é avançado. então eu penso que tudo isso que você passou, só ocorreu poque você não é primária. Seu estágio é mais avançado, logo as provas também exigem mais. E o que é melhor, você já passou por ele e venceu! Parabéns mesmo! Que Papai do Céu lhe dê umas férias bem longas!

Vencedora, beijos...

Isa mar disse...

Nilce, o importante é ser humilde, reconhecer os erros e mudar, o resto a gente conserta
O trabalho de perdão é maravilhoso, tanto o perdão para os outros como para nós mesmos, pois cada um só faz o que consegue no momento que está vivendo.
Tudo são lições que aprendemos, então agora para compensar os sentimentos de ódio e raiva que tivemos, aprendamos a emanar o sentimento de amor!
Beijos e um ótimo dia pra você!

Leci Irene disse...

Linda menina! O importante é a gente reaver o rumo da nossa vida, colocar muitas flores no caminho! parabéns! vc realmente é uma menina guereira!

orvalho do ceu disse...

Olá,Taia
A net tá lenta demais mesmo... haja paciência!
A definição que vc colocou do Shakespeare da raiva e ódio é perfeita, no meu modo de pensar, até me referi assim na minha diferenciação também.
E o que vc colocou do Mandela e do Mallorqui vai de encontro ao final do meu post...
A profundidade do ódio é com certeza revelada no olhar penetrante... desfiigurador... fulminante...
Que a Mão Divina esteja a serenar todo o seu ser a cada dia que passa e que lhe cubra de toda sorte de bênçãos que necessita para esse seu momento de vida!
Que esse processo de libertação seja constantemente renovado, com muita generosidade da sua parte!
Vc tem razão total quando nos diz da EXUBERÂNCIA do perdão... Parabéns!
Tudo que se possa minimizar de ruim contra a nossa felicidade devemos sim fazê-lo.
Ótimo dia com muita paz interior.
Abraços fraternos

Socorro Melo disse...

Nilce,

Uma experiência muito forte a sua. Dá pra imaginar o tamanho do sofrimento. Pois se a raiva já nos faz tanto mal, quanto mais o ódio.
Mas, graças a Deus que você se deixou preencher de amor, foi nobre pra perdoar, pois, só o perdão é capaz de curar o ódio, e deu a volta por cima, amando-se e buscando novos caminhos. És verdadeiramente uma grande guerreira.

Beijos, amiga
Socorro Melo

Taia Assunção disse...

Puxa, é uma honra ser confundida com a Nilce...ainda que seja só por causa do nome...rsrsrs. Beijocas!

disse...

A superação é algo excepcional. Vibro em acompanhar cada uma de suas histórias, de suas verdades, de suas emoções. Obrigada pela oportunidade sempre. Bjosss

Nilce disse...

Oi,

Desculpe-me, mas a Taia é do Zâmbia meu lar, Brasil meu jardim.
Obrigada pelo comentário.

Nilce

Denise disse...

Oi minha querida, bom dia!
O tema de hj é profundo...
Fiquei feliz por ter superado essa fase difícil, que bom que conseguiu aprender algo importante.
Acredito que certas coisas na vida temos que passar para vencê-las, por mais que sejam desafiadoras.
O ódio desperta ira que desperta guerra, é preciso saber perdoar.
Concordo com o que disse, o amor supera tudo.
Bjinhos, ótimo fds!

Tati Pastorello disse...

Nilce, eu queria ter o comentário certo hoje, para você. Mas não tenho. Eu admiro sua capacidade de superação, de expor uma história nada fácil. Seu texto está primoroso, cheio de emoção e costurado com citações ótimas, encaixando-se perfeitamente.
Parabéns!
Um grande beijo.

Cantinho She disse...

Minha querida... como esse seu texto mexeu comigo, vc não faz ideia, aliás ng na blogsfera faz e vão, não sei até qdo, continuar a sem fazer ideia... me trouxe recordações e reflexões, mas existem coisas que realmente são muito difíceis de serem perdoadas, diria que primeiramente até compreendidas para depois serem digeridas e, em seguida, perdoadas... confesso que um determinado assunto em minha vida eu tenho dificuldade de perdoar, mas hj em dia já consigo enxergar de uma maneira diferente onde assim jah consigo trazer paz para o meu coração, pois o ódio faz mal demasiadamente e somente a nós mesmos... obrigada, minha querida, pela reflexão, mas eu juro que tô tentando, mas é difícil direcionar o perdão a uma pessoa que fez um mal tão gde pra gente e que foi capaz de mudar a nossa vida... mas não é impossível não, pq se Deus criou o perdão é porque essa atitude é possível... enfim... quem sabe um dia eu consiga?!
Beijo, beijo e SHEirinhos!
She

Lu disse...

Oi Nilce
senti muito pelo que vc escreveu. Imagino que esse 6 meses tenham sido de muito sofrimento mesmo, mas como vc mesma escreveu nos comentários foi o parto para uma nova etapa da sua vida.
Eu nunca senti ódio de ninguém, raiva sim. E tenho quase certeza de que a raiva foi o estopim da minha depressão. Enfim... são fases que graças a Deus passam e que nos resta aprender e tirar bom proveito de tudo o que se passou.

A Iram chegou na quarta a noite e está lindona de nariz novo. Espero que em breve ela comece a escrever de novo.

Bjs para todos vc em casa.

Lu

António Rosa disse...

Nilce,

Esta semana estive ausente da internet, por isso não participei desta blogagem coletiva.

Gostei muito do seu post, pois é «pacificador» e isso, para mim, com a idade que tenho, é bem mais importante do que manifestar a raiva, que eu já vivi isso no passado, mas hoje não quero essa emoções na minha vida.

“Ai que raiva” - se você gosta de metafísica, certamente sabe o que é a Lei de Atração. Pois sempre que se diz isso, atraímos isso para a nossa vida, mesmo em pequeninas doses. ::)))

Beijos e parabéns.

Nilce disse...

She, querida

Agora você consegue entender o porquê do meu post "A paz interior" na terça-feira?
O perdão deve ser para nós mesmas. Não precisei de pedir a quem me fez mal, quem eu achava ter destruído minha vida.
Consegui entender que naquele momento era o melhor para mim, mesmo tendo sido tão grave a ponto de me fazer ficar com tanto ódio e desejar o mal dessa pessoa.
Quando isso acontecer com vc, tenho a certeza de que seu coração se sentirá muito melhor e conseguirá vencer esse sentimento de não aceitar perdoar.
Obrigada sempre, minha querida!
Teamodoro!

Bjs no coração!

Nilce

Silvia Masc disse...

Recentemente pude perceber o quanto posso ter capacidade de sentir ódio, que eu atenuava dizendo que estava com raiva. Foram dias mal dormidos, coração apertado, dores físicas, mas confesso que deixei correr solto, e hoje passadas quase 3 semanas do fato, já me sinto bem mais leve, coração bem mais tranquilo, mas confesso que me assustei com a intensidade da minha ira. Hoje percebo também, o quanto ela foi inútil, porque não anulou o fato que me fez odiar.
Primoroso e muito corajoso o seu depoimento.

"Se a gente cresce com os golpes duros da vida, também pode crescer com os toques suaves da alma"

Beijinho

Ramonices disse...

Como comentei em outro blog, eu uso toda raiva que sinto para me motivar na vida, não uso para coisas ruins, mas para me dar força para levantar a cabeça e seguir atras do que acredito ser certo...

Abraços Thiago Ramone.

Isadora disse...

Nilce acabei de ler seu post e ainda estou sobre o impacto dele. Nem posso imaginar o "inferno" pelo qual você passou e o quanto deve ter sido difícil conviver com o ocorrido e com tantos sentimentos confusos, mas fico imensamente feliz por você ter compartilhado conosco, esse episódio de sua vida e mostrar que sim, podemos tirar de dentro de nós esse sentimento e vivemos através do Amor.
Um beijo

pensandoemfamilia disse...

Muito intenso o seu texto. Vc colocou a alma no que escreveu e nos permitiu compartilhar deste processo que foi terrível, mas enriquecedor no sentido do seu encontro pessoal.
bjs

Françoise disse...

Olá Nilce,
Agora posso entender o quanto a dor de cabeça te apurrinha quando lembra da situação vivida.
Fui lendo e ficando toda arrepiada com seu relato.
De tanta raiva, ódio, nasceu ai o AMOR. Sei que não desabrochou de um dia pro outro, não deve ter sido fácil mas serviu de aprendizado. Sua experiência certamente ajudará muitas pessoas a se olharem hoje no espelho e a enxergarem a si mesmas antes de qualquer decisão trágica.
Admiro sua coragem,

Abraços,

Glorinha L de Lion disse...

Nilce, minha amiga, primeiro quero te agradecer por sua amizade e apoio. Como vc tem sido importantes pra mim! Segundo que coragem amiga! Se expôs, pôs tudo pra fora, numa verdadeira catarse. Sinal de que realmente o perdão venceu. Raiva todos sentimos em alguns momentos da vida, é humano, é natural. Acho que ódio nunca senti, nem gostaria de sentir, pois deve comer a gente por dentro. Ainda bem que superou tudo, e tenho certeza que sim, pela pessoa maravilhosa que vc é. Grande beijo amiga, obrigada!

Lúcia Soares disse...

Nilce, um relato emocionante. Espero que a cada dia se sinta melhor, está no caminho certo.
Amar é mais fácil; paz é melhor que guerra; luz e escuridão podem ser bons, dependendo do momento; amor e ódio se complementam, tudo na vida é de momentos.
Você é mesmo uma guerreira e acho que entendi a quem seu ódio foi dirigido.
Espero que a paz, hoje, habite em sua alma, verdadeiramente.
Para a sua própria felicidade, né?
Beijos!

(Obrigada por seu carinho em me animar. Você é uma brava guerreira, muito querida! Bj)

Bordados e Retalhos disse...

Nilce quanta coragem em colocar tudo isso aqui. Adorei pois sei que 9isso só te fortalece e ajuda. Acho que esses cammnhos que encontramos só nos torna pessoas melhores. Bjs

Kelly disse...

Adorei seu post!!! Raiva é minha companheira constante, é até feio dizer isso, mas infelizmente é verdade. Hoje em dia se vê tantas injustiças, tantas coisas erradas e isso me mata de riava, adorei sua participação. beijos

Nika disse...

Olá vim conhecer seu blog, conheci ele atraves de outros que leio.
Acho que o melhor de tudo que você sentiu é hoje poder olhar pra traz e ver que além de você ter superado o amor prevaleceu, e com certeza é isso que te faz guerreira.Parábens pela coragem de colocar sua história no blog é um exemplo de superação própria.
Adorei o blog aos pucos vou lendo tudo.
bjs

rouxinol de Bernardim disse...

Pensamentos assim, formam uma personalidade forte, tolerante, culta, aberta e fraterna!
Somos um pouco daquilo que lemos! Né?!!!

Néia (Dulci) disse...

Raro é saber lidar com a raiva, porque sentir já faz parte da vida. O pior desse sentimento são as péssimas recordações que deixam, é impossível não ficar com um resquício de ressentimento ou mágoa, infelizmente.
Um abraço.

anita sereno disse...

Nice minha querida
obrigada pelas visitas constante
beijos na alma
e votos de um bom fim de semana

Astrid Annabelle disse...

Excelente Nilce!
Que depoimento...de tirar o fôlego! Bem, mas agora tudo já foi superado e você está em paz, não é mesmo?
Esses momentos são de grande transformação e a realidade oculta por trás dos fatos está sendo curada.
Parabéns...belíssima participação.
Um beijo
Astrid Annabelle

Macá disse...

Nilce
Cada vez que venho aqui me deparo com uma mulher cada vez mais forte, mais guerreira, mais adorável.
É muito bom se envolver com as coisas que vc escreve pois sempre tiramos uma lição.
Parabéns
um beijo grande

Manuela Freitas disse...

Querida Nilce,
A sua postagem é fantástica e motiva uma grande reflexão. Impressionou-me a sua experiência pessoal, mas é através de situações que vamos vivendo, que aprendemos a gerir melhor os nossos sentimentos e emoções.
Sentir raiva, quem não sente, até por coisas bem insignificantes, mas isso passa! Pior é quando há ums fixação de raiva/ódio! Vc deu uma lição exemplar.
Muitos beijinhos,
Manú

ValeriaC disse...

Nilce querida, fico feliz que voce diante de tantas lições que a vida te trouxe, conseguiu aprender a liberar a raiva, o ódio, e a perdoar...a si mesma e ao outro. Isto foi um grande passo amiga...nada como paz e amor no coração...
Tenha um lindo final de semana..pleno de paz e alegrias...beijinhos...
Valéria

Jaque ઇ‍ઉ disse...

“O olhar de quem odeia é mais penetrante do que o olhar de quem ama”.

Que frase hein amiga... Não podemos deixar que isso nos atinja.

Um beijo minha amiga querida!
Bom final de semana :)

ELA disse...

Corajoso depoimento, Nilce. Através do que vc disse, pudemos acompanhar sua fase de transformação, mesmo não sabendo do tempo cronológico em que ela aconteceu (e nem interessa, não é verdade?!).

Qdo vc comentou lá no meu blogue "uma vez eu fui embora", eu pensei "peraí! como assim?!" e agora que li, entendi o que quis dizer.

Parabéns pela nova fase e pelo aprendizado.

Um abraço,
Michelle

Crica Viegas disse...

Não consigo imaginar a sua dor, pois cada um sabe a dor que sente. Ela é única, porque somos únicos também...muito corajoso seu texto!

Deia disse...

Nilce, nossas história são tão pessoais, mas, ao dividí-la com os outros, o quanto estamos ajudando, mesmo sem perceber! Você deu uma aula da destruição que é ruminar um ódio contra outra pessoa. Destruição para nós mesmos, às vezes beirando o risco da catástrofe. Fico muito feliz em ler que você passou ao largo desse abismo e segue em passos firmes, com amor no coração! Quem o tem, não consegue perder tempo com raiva ou, pior ainda, odiando ao próximo. Obrigada por tanta franqueza! Saiba que não foi em vão! Um beijo, Deia

Bombom disse...

Querida Nilce
Os comentários anteriores já disseram tudo. Que lição me deste, sem saberes!...Como eu te compreendo e admiro!
Bjs. Bombom

Beth/Lilás disse...

Poxa, Nilce, que terapia todos nós estamos fazendo nesta blogagem maravilhosa!
Eu só espero que agora teu coração só experimente os bons sentimentos, porque certamente a raiva contínua que gerou o ódio, trouxeram muitos males à sua saúde, por isso desejo-lhe o melhor na vida para que possa apagar totalmente este tempo cruel.
um beijo grande carioca

Chica disse...

Foi um lindo e emocionado abrir de coração que li aquoi.Parabéns.Adorei!um beijo,tudo de bom,chica

Laninha disse...

Surpreendente história! E seu fim é ainda mais... porque um sentimento maior e melhor te envolveu e curou! É tão bom saber que podemos superar a nós mesmos, não é?! Se cuida, bjs.

Hanna Martinez disse...

Acho que raiva, vingança, ódio são sentimentos que destroem não só a pessoa que a sente, como as pessoas ao redor dela.. nunca senti uma raiva super possessiva, do tipo em pensar em fazer uma loucura, mas raiva boba de comer, compras não necessárias e outros isso sim.

adorei o texto nilce, beijos e bom final de semana.

Beatriz disse...

Olá Nilce
Adoro esta frase de Nelson Mandela! Inclusive ela aparece no fime "Invistus" algumas vezes. Acompanho a trajetória dele e sou sua fã. Realmente, uma pessoa que sempre buscou a paz incondicionalmente!!!
Beijocas,
Bia

Mariana disse...

Sentimentos fortes e negativos só fazem mal, e devemos ser maiores q eles para superá-los.
Muito bom este texto.

ஐ¸.Lady .¸ஐ disse...

Oi flor!
Costumo dizer que quem tem raiva são os cachorrinhos.
Já senti mágoa, mas raiva, ódio, graças a Deus não entra em meu coração.
Tenha um ótimo fim de semana.
Beijo da Lady

Luma Rosa disse...

Recentemente uma amiga veio me contar que quase matou o marido e olha, ela sempre foi uma pessoa equilibrada, mas ele conseguiu tirá-la do sério. Quando começou a me contar, fiquei chocada! Mas daí tinha toda uma história por detrás, com muitos sentimentos envolvidos, opressão, revolta, angústia, mágoa... tanta coisa! Que lógico, culminou na separação depois de 15 anos de casamento. A separação foi a melhor coisa que lhe aconteceu nos últimos tempos! Restabeleceu sua auto estima, começou a procurar pela sua satisfação, seus hobbies perdidos e amizades idem! O casamento pode virar um prisão e foi o caso, mas agora, liberdade! Principalmente se libertar de sentimentos tão ruins!
E enquanto te lia, veio na minha frente a carinha dela me contando tudo! Chorosa, sentida, por contar tantos momentos e sentimentos ruins que passou e depois o grande alívio de renascer!
Bom fim de semana! Beijus,

Sonia Beth disse...

Guerreira voce foi muito corajosa em postar esta historia. Obrigada pela partilha.

beijos

diariodumapsi disse...

Amiga
Você ARRASOU no texto! Mas arrasou também nessa vivência de crescimento e perdão, não é a toa que você é uma pessoa tão especial!
Em momentos de tensão somos capazes de coisas que não sabemos, mas pessoas especiais são sempre cercadas por anjos, e você teve um deles! Sua história é surpreendente, grande lição de vida!
Gd beijo

Misturação - Ana Karla disse...

Oi Nilce, vim marcar minha presença nessa coletiva. Estou atrasada, eu sei, mas o final de semana está corrido.
Bom tarde domingal.
Xeros

Gina disse...

Nilce,
Estou chegando atrasada para conferir seu post, porque estive viajando, mas valeu a pena ter vindo aqui.
Sua exposição sobre algo tão profundo, tão forte, mostra que a única saída é o perdão. E você conseguiu libertar-se, parabéns! Seis meses convivendo com um sentimento tão negativo, corrói a alma. Fico feliz que tenha superado e se perdoado.
Boa semana pra você!