Minha infância, minha vida, meus amores e dores; minhas idéias e meus ideais; idéias alheias, conversação entre sorrisos e lágrimas, tudo contado de uma maneira gostosa e com uma pitada de bom humor por uma pessoa FELIZ!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Dia de Fúria!!!

Nunca fui uma mulher chamada “frágil”. Minha vida não foi e nem é um mar de rosas, mas sempre procurei transformá-la num caminho de flores diversas. E assim, consegui sempre ser feliz, mesmo nos piores momentos. Nuvens negras o vento leva, e eu levo a vida, amando, chorando, mas muito mais rindo e sorrindo.

Não sou muito de visitas, sou bem caseira. Mas adoro receber e se cozinha para mim faz parte da decoração da casa, viro uma “chef” quando resolvo cozinhar para o pessoal. E todos adoram. Verdade. Se alguém duvida, peçam alguma receita, ou melhor, venham experimentar por aqui mesmo. Será um prazer.
Quando do início do meu “probleminha de saúde”, iniciei vários tratamentos. Este assunto ficou parado em meu blog e qualquer dia destes eu continuo.
Como tenho muitos problemas com medicamentos (já falei sobre isso), há uma dificuldade muito grande com relação a reações alérgicas, o que já me custou duas paradas cardiorrespiratórias e mais uma depois na última cirurgia, final do ano passado.
Mas isso é outro assunto.
O que quero contar aqui é sobre o que me aconteceu semana passada e que quase acabou comigo. Com meu emocional e principalmente com o meu bom humor e educação que sempre meus pais tanto se orgulharam.
Estou morando na divisa de dois Estados: Paraná e Santa Catarina. Já falei sobre isso aqui. Como tenho plano de saúde, posso ser atendida em São Bento do Sul – SC que é aqui do ladinho.
No início, era muito bem atendida com minhas receitas de meus médicos do Paraná. Com o tempo foi-me exigido que mudasse meu tratamento com um médico da região.
Impossível!
Vocês não fazem idéia de como é complicado. Como pode tudo ser tão diferente. Faço um exame em Santa Catarina, o pessoal do Paraná diz que tenho que fazer outro, pois eles não conhecem o Laboratório ou a Clinica de Imagem em que fiz.
Não pensem que em Santa Catarina é diferente. Fico sempre com exames em duplicata e com o mesmo diagnóstico. Ainda não consegui entender, mas...
Passado um ano, resolveram que não iriam mais usar minhas receitas de medicamentos do Paraná, e foi me dado uma opção: pagar por eles.
Sem solução, pois estava muito difícil encontrar um médico que aceitasse todos os “trocentos” exames que já tinha e para não fazê-los todos novamente, pois já tenho que fazer os de rotina, meu marido e eu, aceitamos.
No início, pagávamos apenas pelos medicamentos. Consulta, sala de recuperação e material hospitalar ia para o plano de saúde. Mais seis meses e novamente a coisa pegou. Agora eu teria que pagar por tudo. Consulta, medicamentos, etc., etc.
Nessa época, trabalhava por aqui um médico que vendo o nosso sofrimento e o quanto gastávamos, pois eu preciso ser medicada pelo menos duas vezes por semana, dispensava o valor das consultas. Mas, como tudo o que é bom dura pouco, em seis meses ele foi embora fazer sua Especialização e é claro voou mais longe. Ficamos muito felizes por ele. Já é um Cardiologista.
A partir daí, começamos a pagar tudo. Nossos salários estavam se diluindo em medicamentos e consultas, fora o que preciso tomar diariamente em casa e outros tratamentos que preciso fazer.
Há uns seis meses atrás, ficou resolvido que nem pagando seria mais medicada.
Tudo bem. Voltei a ser atendida pelo plano de saúde e eles me usavam o mesmo medicamento que tenho em casa e uso somente para emergências, pois os efeitos colaterais são muito fortes, e mais alguns para combater os tais efeitos.
Tenho evitado desde então, as idas ao hospital, mas quando passo muito mal, tenho que correr lá mesmo ou me deslocar até minha cidade que fica a mais de 250 km daqui e neste caso, ficar internada, pois a viagem acaba ainda mais comigo quando estou em crise.
Alguns médicos tentam fazer o melhor por mim por aqui. Ainda bem, pois senão não teria socorro. Imaginem mais essa.
Tenho tantas histórias para contar...
Depois da cirurgia da minha filha, acho que abusei um pouquinho, e o frio também faz com que minhas dores se acentuem muito. Tentei não ir ao hospital e comecei a tomar medicamento via oral.
Minha coluna já estava “podre” e meu estômago começou a reclamar, intestino e rins pararam de funcionar e sábado tive que ser levada à emergência.
Chegamos e como sempre acontece, marido pediu uma consulta. Não foi tocado em assunto algum com a moça atendente, como receita ou algo parecido.
Como sou muito conhecida, a enfermeira já me chamou, foi medir minha pressão e ver como eu estava com as dores.
Estávamos contando a ela o que estava acontecendo: vômitos, dores de estômago e tudo mais, quando a atendente veio até meu marido e falou alguma coisa.
Ele pegou minha mão e disse: “vamos embora que o médico disse que não vai nos atender”.
Isso já tinha acontecido várias vezes, só que há bastante tempo, e sempre íamos embora quietos procurar socorro em outro lugar.
Naquele momento, desci do salto, mesmo com tanta dor.
Por que ele não iria me atender? Tudo bem que o médico que estava lá não me via há muito tempo, desde que eu lhe pagava uma fortuna pela consulta e ele me dava até ..... se eu pedisse. Mas, agora?
Segundo a moça ele simplesmente disse que a “Nilce” ele não atenderia. Isso queria dizer que eu já tenho um rótulo: Nilce=medicamentos receita azul ou amarela, ou talvez pior: Nilce=não tem mais cheque.
Peguei meu celular da bolsa e disquei 190.
Quando a moça ouviu-me falando com a polícia correu avisar o médico que tranquilamente encontrava-se em sua sala de descanso.
A sala fica ao lado de onde eu estava e ele pensou que eu não estava ouvindo tudo. “Tadinho” veio de lá e me disse, enquanto eu falava com o policial que me atendia, muito calminho: “você não quer ser atendida sem confusão?”
Confusão? "Mipoupe!" Vocês viram alguma até agora no que descrevi aqui, desde o momento que chegamos ao hospital para apenas "uma consulta”?
Respondi que “não, agora quem queria confusão era eu mesma”.
Ele virou uma fera. Andava de um lado para o outro e nesse meio tempo, toda a equipe responsável do hospital estava ali, tentando me acalmar, sem sucesso.
Marido que para perder a razão precisa um caminhão, (foi a primeira vez que vi, para ser sincera), ficou doido também, “agora quero atendimento”, mas eu já não queria.
Queria era ir embora, chorar na minha cama, no colo do meu marido, ir para a casa da minha mãe, se não fosse tão longe, tomar um chazinho, qualquer coisa, menos ficar naquele lugar.
Gente, vocês não acreditam, assim como eu não acreditei na hora. A polícia chegou em menos de 5 minutos.
Acreditem ou não, mas quem chamou fui eu e quem quis falar foi ele, o médico. Ah, não deixei mesmo. Chorando e com muita dor, cheguei a gritar que quem tinha chamado a polícia fora eu e que se ele queria prestar alguma queixa, que chamasse no 190.

O que mais me magoa é o fato de que com dinheiro na mão, tudo é resolvido. Ninguém te rotula, ninguém te humilha.

Enfim, fui convencida a ser atendida, pois havia outro médico no hospital e minha pressão que sempre foi normal, chegou às alturas. Aquele eu não aceitei e nem poderia.
Os policiais permaneceram ali até o atendimento e eu preocupada se eles não tinham alguma ocorrência mais importante para atender. Um deles muito simpático me tranqüilizou dizendo que tinha mais gente para isso.
Queixa registrada!
Tem muito mais coisa. Se quiserem me perguntar, fiquem à vontade.

Bjs no coração!

Nilce

18 comentários:

Taia Assunção disse...

As vezes é preciso descer do salto para se fazer entender. Mas cuide-se, acredito que o mais conveniente agora é manter-se tranquila...deixe para o seu marido essa função. Beijocas!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Confesso que fiquei muito triste com o que li, Nilce.
Não sabia que você passava por tantos maus tratos na hora de ser atendida por um médico. Vc está no seu direito, todos temos direito a saude. E vc paga impostos, contribui. Portanto tem que ser bem atendida.

Que absurdo um médico se mexer para te atender depois q vc ligou para a polícia! Que mundo é esse?

Ainda mais no seu caso, que vc não vai ao médico porque tá com uma gripinha boba ou não tem o que fazer em casa. É tratamento constante, necessário.

E outra, como o tratemento médico ai no Brasil é muito caro, como vc vai pagar por tudo sozinha?

Que coisa... é de se revoltar, sinceramente.

Te desejo melhor sorte, Nilce. E que vc melhore, viu. Não tenho nem palavras pra dizer o que sinto, tamanha a revolta.
bjs e um bom dia pra vc

Iram M. disse...

Nilce, querida

Me vi no seu relato.
Quantas vezes não já passei por esse tipo de coisa, meu Deus?!
Acredito em tudo o que vc disse, pois esse é o nosso Brasil, pelo qual vamos sofrer hoje na hora do jogo. Que coisa!
Queria tanto provar a sua comidinha.
Hummmm! deu água na boca.

lolipop disse...

Olha Nilcinha...até ia me engasgando no almoço com a raiva...como é que isso é possível!!! Vc devia mandar isso pra jornal e televisão,viu?
Lamento muito muito por vc...só me apetecia ir lá socar esse médico.
Espero que agora já esteja melhor, amiga. Pelo menos um pouquinho?
Quanto a sua comidinha, não duvido...tem que publicar uma receitinha...
E que hoje ganhe o melhor...
TERNURAS BEIJOS CARINHOS

Denise disse...

Uau, Nilce, que situação vergonhosa, não imaginava que o médico chegaria a esse ponto...

Não sei o que é pior, se a gente não tem plano de saúde ou se tem um plano porcaria que não atende todas as praças e que cobram uma facada, com o reembolso baixo.

A gente tem que pagar por tantos impostos e no fim não temos muito retorno, nem sequer um sorriso, só uma punhalada nas costas e acabou.

O importante é que vc deu o primeiro grande passo de mostrar seu valor e que não é td mundo que concorda fazer do jeito que esse pilantra quer. Aposto que ele deve pensar 2 x antes de falar qualquer besteira a partir de agora. Não é a tôa que vc é uma guerreira!!!

Se morasse mais perto eu juro que passaria aí pra te dar um abraço e a gente combinaria um almoço bem familiar pra colocarmos as conversas em dia!

Se cuida tá? Vou orar pra que fique bem!

Bjs, ótimo fds!

"Hamilton H. Kubo - Profundo Pensar" disse...

Bom dia Nilce, infelizmente é uma verdade em muitos outros lugares.
As pessoas sendo rotuladas, principalmente pelo dado poder aquisitivo de cada um.
Os profissionais da saúde de outrora o faziam por gosto ao trabalho, hoje por gosto ao dinheiro.
Alguns não passam de mercenários disfarçados em um guarda pó branco.

Mas eles se enganam em pensar, que nós somos pobre coitados desinformados e conformados.
Sua atitude diante do ocorrido deixa claro a surpresa no local.

Ouça, sei que palavra alguma pode dar alento à sua dor, no entando se dosar certinho um pouquinho por dia, pode até dar algum sinal!! rsrs

O carinho que tem em verdade de todos que estão aqui, se faz importante para alimentar sua alma, e ver que é sim uma tremenda guerreira, que esta na Luta, que mostra o verdadeiro significado de ser uma brasileira, não um como tantos que se colocam uma camiseta da seleção e saem a rua para gritar a nação.
O brasileiro tem que ser assim, como você que luta dia após dia, que diante do descaso, mostra que esta de pé e pronta para lutar não importando a dor que esteja a carregar.
Isso é ser brasileiro, isso é mostrar que esta aqui para ficar, e que não é diante do descaso que daremos as costas e iremos a procura de quem realmente se importe em ser uma pessoa um ser humano em verade.

Nilce, desejo profundo que a melhora bata à sua porta. E rápido!! rsrs
Pois, agora divulgando a boa mão para cozinha, vai acabar é ficando ocupada demais!! rsrs

O princípio da cura, esta em nossas mentes, para depois passar pelo corpo e encontrar a cura verdadeira.
Mente sã corpo são.
Portanto Nilce querida, se lembre que antes de mais nada precisa acreditar que logo estara curada, com a mente assim você mesma criará um remédio dentro de você.

O processo se inicia em nosso interior, médicos e medicamentos vem para agregar força para a cura, não devem jamais serem descartados. Mas antes de mais nada é preciso acreditar que de muito somos capazes.

Beijos linda, e não se preocupe com o médico relatado, pois o dele certamente esta guardado.

diariodumapsi disse...

Que absurdo o que te aconteceu! Esse médico devia ser preso por te negar atendimento, cadê o juramento que eles fazem! Era OBRIGAÇÃO dele te atender! Bem feito que chamou a polícia! É isso aí, tem que botar para quebrar!
Um beijo grande minha linda!
Bom final de semana!

Jaque Gonchoroski ઇ‍ઉ disse...

Menina que absurdo!
Hoje em dia não dá pra confiar nem nos médicos mais... E que eficiencia da policia, que muitas vezes demora pra aparecer.
Nada como um belo susto pra fazer nos respeitar.
VOcê estaá no seu direito e não deixe ninguém te humilhar não. Sua saúde em primeiro lugar.

Melhoras viu?!
Beijos

Meri Pellens disse...

Difícil isso. Mas bem que você fez, viu? Muitas vezes a gente tem que descer do salto mesmo.
Beijos na alma.

Nilce disse...

Oi, Taia

Agora estou mais susse. Mas te garanto que não foi fácil.
Obrigada pela força. E não se preocupe maridinho sempre está à frente. É meu escudo, rsrs.

Bjs no coração!

Nilce

Nilce disse...

Oi, Ale

Como quero te agradecer por tudo, sempre presente com uma palavra amiga.

Resolvi botar pra fora, afinal vcs mereciam saber. Aqui só se vc chegar todo moído e tiver vaga pra ser atendido logo. Mas se tem dinheiro, ah aí é bem rapidinho.

Sabe, Ale, até que aqui em SC, eles atendem bem pelo SUS, plano de saúde ou não. O problema comigo foi termos cedido e começado a pagar. Já tinham, há bastante tempo, me alertado sobre meus direitos. A gente não quer confusão, então fica por isso mesmo. Só que tem uma hora que a coisa pega e temos que fazer valer esses direitos.

E vamos ao jogo.

Bjs no coração!

Nilce

lolipop disse...

Há uma coisa que depois de pensar mais me veio á cabeça...esse é que é o Brasil de Lula?
Depois lembrei de contar um episódio que aqui veio no jornal há uns dias...um paciente foi internado para ser operado ao braço direito. Quando acordou da operação, sentiu com surpresa que tinha dor no esquerdo,chamou a enfermeira e destapado pôde comprovar que a operação tinha sido afinal ao braço que tinha perfeitamente são...gritaria e confusão, chamam o anestesista e o médico que lhe diz: MAS PORQUE È QUE NÂO ME AVISOU! Tinha como avisar anestesiado?!!!!
Aqui o serviço público de saúde deixa também muito a desejar.
E olha, empatamos...rsrs
BEIJOOOOOOO!

Betty Gaeta disse...

Oi Nilce,
Que coisa chata! Espero que o seu problema seja solucionado, não apenas o seu problema com médicos e planos de saúde, mas o seu problema físico. que estas dores abandonem vc e vc possa viver feliz.
Como eu disse para vc, eu tb tenho problemas de saúde e hj fiz os meus exames trimestrais.
Bjkas e uma ótima sexta-feira.

cantinho she disse...

Pôxa.... fiquei triste... triste com o seu sofrimento, com a sua dor, com o seu desespero em ser atendida, o que é de seu direito, e com raiva desse babaca, vc agiu certo minha querida... fique bem e melhoras... :(
Beijo, beijo!
She

ஐ¸.*Lady *.¸ஐ disse...

Ai flor, que situação chata!
Olha, fico revoltada com esse tipo de descaso.
Fique calma, procure relaxar e se cuida viu?
Tenha um fim de semana de muita paz, amor, no colo do maridão.
Com carinho, Lady.
Bjão

*** Cris *** disse...

Muito bem meu doce, vc é especial e tem seus direitos para serem respeitados como qualquer outra pessoa. Gostei da sua força.
Bjs no seu lindo coraçãoQ

Lilian disse...

Nilce querida!

Estava aqui lendo essa injustiça que fizeram com vc. Me revoltei com o episódio.
Então pra ser atendida só se for com a polícia?

E o juramento desses medicos que eles fazem quando se formam? Onde fica?Pra que eles juram?

É lamentável a forma que esses salvadores de vida conduzem a profissão, lógico q nw é direito meu generalizar,conhecemos muitos que se salvam e merecem o Dr antes do nome, mas esse ai que se negou a atender vc é um lixo de profissional.

Tem q descer do salto mesmo e fazer escândalo...Mas no seu caso em q vc estava enferma eu nw aconselho,pois agrava mais sua saúde, mas nw deixe por menos,lute por seus direitos.

Espero q vc nw venha precisar mais de ser atendida por esse q se diz Dr. e que encontre anjos em seu caminho, para te atenderem com o respeito merecido.

Fique bem e muita força...Bjs

Tabeteimasu disse...

Olá Nilce,

Realmente é muito triste passar por uma situação dessas. Mas os médicos de hoje em dia e o setor de saúde viraram um simples comércio de quem pode pagar leva. Se não pode, senta e chora. Me revolto com isso....uma porque vemos tanto dinheiro sendo empregado em futilidades enquanto a saúde fica em segundo plano.

A outra é com a atitude dos médicos. Tudo bem que eles precisam ganhar dinheiro, mas a forma como eles agem às vezes é repugnante. Ser médico não é para qualquer um, tem que se dedicar muito, mas a partir do momento que você escolheu isto tem que assumir a responsabilidade e tratar as pessoas como seres humanos e não como mais um atendimento que resultará em dinheiro.

Eu imagino o que voc enfrenta pois minha mãe tem problema na cervical (pinçamento) e fibromialgia. Ou seja, tem dores fortes diárias que dificilmente passam. Dentre tantos médicos que ela já passou, nenhum achou um tratamento que resolvesse até agora. E muitos foram mal educados, achando que a dor era psicológica (mesmo com os examos apontando o problema). Outros chegaram a dizer "quem procura problema acha"....

É desanimador as atitudes destes senhores de branco...

Espero que você se reupere e não passe mais por situações como essa.

Beijo,
Carlos