Minha infância, minha vida, meus amores e dores; minhas idéias e meus ideais; idéias alheias, conversação entre sorrisos e lágrimas, tudo contado de uma maneira gostosa e com uma pitada de bom humor por uma pessoa FELIZ!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Médicos??? Quanta especialidade!!!




Hoje, gostaria muito de comentar uma coisa, para mim muito importante que vivi na infância e que me faz muita falta.
O “nosso médico”, o nosso DOUTOR.

Hoje, existe um programa do governo chamado “médico da família”, conheço alguns, mas não se compara à dedicação e carinho que recebíamos naquela época.


Nossos médicos eram só e simplesmente “médicos”. E entendiam de tudo. Desde uma verminose até um problema cardíaco.

De diferente, tínhamos o oftalmologista e o dentista, agora odontologista, fora as especialidades. E olha que não sou tão antiga assim, viu?

Depois, lembro-me muito bem, mesmo sendo pequena e não entendendo nada, de minha mãe começar a ir ao ginecologista, chamado por meu pai de “médico da mulher”.

Imaginem se ele fosse vivo e soubesse que existe sexólogo? Seria até engraçado.


Nunca fui a um pediatra e hoje em dia tenho tantos médicos que às vezes me perco. Onde arrumei tantos problemas?


A primeira vez que fui a um especialista em alergias, indicado por um tio fiquei muito assustada. Nossa! Quantos exames de sangue, aquelas picadinhas no braço, e muita coisa sendo descoberta.

É evidente que a medicina evoluiu e cada vez mais procura-se curas para todo tipo de doença e recuperação das pessoas.

O que me assusta é a quantidade de doenças e de Especialidades. A medicina evolui conforme as necessidades do ser humano.
São transplantes de qualquer parte do corpo, robôs fazendo cirurgias, pesquisas e mais pesquisas, cirurgias plásticas e muito mais.


Mas, as necessidades podem ser outras.

Há pouco tempo assisti a uma reportagem sobre células tronco. Fiquei chocada! Os países mais interessados no assunto são os que mais participam de guerras. Precisam socorrer seus militares mutilados.


É muito triste e idiota pensarmos que eles querem “salvar o mundo” da deficiência física. A deficiência vem de idealismos bestas.

Voltando aos “meus” especialistas, é inacreditável mas se eu tiver um problema na mão direita e outro na esquerda vou precisar de dois médicos diferentes.
Pode???

É Alergologista;
Anestesiologista;
Cardiologista;
Cirurgiões em várias especialidades;
Dermatologista;
Endocrinologista;
Gastroenterologista;
Geriatra;
Ginecologista;
Pediatra;
Obstetra;
Oncologista;
Ortopedista;
Otorrino...;
Pneumologista;
Psicólogo;
Psicanalista;
Psiquiatra;
Psicoterapeuta, etc, etc.

SOCORRO!!!

 Isso foi o que lembrei.

Por um acaso vocês já viram a lista? Não??? O Dr Google tem.

Afinal, eu queria saber bem certinho a diferença dos quatro últimos. Já pesquisei e para falar a verdade, acho que só um dava conta.

Não viveremos muito para termos especialistas para cada osso ou pedacinho do nosso corpo.

Num país onde mais de 80 % da população têm renda abaixo da pobreza, aonde vamos parar?



E o SUS paga tudo isso?



Ai, ai, que saudades do nosso DOUTOR!

Bjs no coração!



fonte: figuras e fotos

7 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Gostei muito do seu parecer, Nilce. Aqui no Japão ainda é tradicional o médico da família.
E é bom, pq ele conhece a gente melhor, sabe mais detalhes de nós. E rapidamente consegue decifrar o que se passa com a gente. Ele nos vê crescer, sabe do que temos mais forte e mais fraco em nosso corpo.
Pq não é fácil passar na mão de mil especialistas para tentar entender o que temos. E todos eles não sabem nada da gente.

Tem q voltar essa tradição, do médico de família. E a medicina tem que ser mais acessível.
Bom dia

Jose Sousa disse...

Fogooo,Isso é uma clinica!!! Com tanto médico!!! Olha, gostei, vou er o resto, mas estou colocando o meu comentário, mas não exerso profição de medicina! vo-te seguir
beijão no seu coração

Lu disse...

E isso aí Nilce
Mas uma coisa te digo: médicos e dentistas igual aos do Brasil não existem....
bjs
Lu

Glorinha L de Lion disse...

Oi Nilce, vc se transformou numa querida, sabia? sempre lá, a postos, lendo tudo, comentando tudo...puxa, fico até "meio metida" com as coisas que escreve sobre meus escritos...hehe...
Vim te agradecer suas palavras sempre tão carinhosas, não tenho andado com muito tempo pra visitar todo mundo que comenta, mas fiz questão de vir aqui hj te escrever e te ler...sabe, acho que esse monte de especialização na medicina, acabou com os verdadeiros médicos...os antigos clínicos ferais...como vc disse o doutor, que ia em casa visitar seus clientes...hj não existe mais isso...meu filho uma vez brincava com uns amiguinhos que estavam com rubéola...ele apresentou os mesmos sintomas...acredita que o médico me disse que não era rubéola? Fez exame na clínica...resulatdo, me disse que podia ser mononucleose...gente, como assim ,os amiguinhos todos estavam com rubéola...só podia ser a dita cuja...voltei pra casa e até hj não tenho certeza se ele teve rubéola ou a tal da mono...agora é só virose...virose pra cá e pra lá...eles não sabem mais nada direito...eu ein...beijinhos

lolipop disse...

Olá Nilce!
TENHO UMA PRENDA E UMA BRINCADEIRA PARA VOCÊ LÁ NO BANZAI.
POR FAVOR NÃO DEIXA DE PEGAR,SIM?
BEIIIIIIIIIJJOOOOOOO!!!!!

Lilian disse...

Médicos eu vou só qnd nw aguento mais!

Do contrário,vou aliviando minhas dores com chá,benzimento,simpatia...
Até pq hj em dia acertar 1 bom médico é como ganhar na mega sena.
Tbm lembro do médico de família, qnd criança era 1 Sr bem de idade que foi médico no Japão e atendia domiciliar na minha cidadezinha.
Aquela época o médico era tudo: amigo,cumpadre e sabia medicar!Ultimamente com a tecnologia atual,confesso...EU CONFESSO q muitas vezes tento decifrar minhas dores e recorro a cura no google, até qnd nw entendo as bulas é o Dr. google q me ajuda!

Bjs querida,amei sua postagem.

cantinho she disse...

Minha querida, eu amoooooo a forma que vc escreve! Adorei o tema abordado, pior que é, né?! Mas enfim... bjo, bjo!